Espaço envolvente da Igreja de Moscavide

 

 

 

Hoje dia 25 de Dezembro de 2006, o meu olhar deteve-se no adro da Igreja de Moscavide.

Sem dúvida alguma as obras levadas a cabo pela Câmara Municipal de Loures e pela Junta de Freguesia de Moscavide, vieram dar um aspecto digno a este espaço público, o único em Moscavide onde se pode fazer uma concentração de um número razoável de pessoas.

Quero, daqui endereçar o meu agradecimento e manifestar o meu contentamento ao Senhores Presidentes Carlos Teixeira da Câmara de Loures e Daniel Lima da Junta de Moscavide, pelo aspecto airoso e funcional que estas obras vieram dar a este espaço que há tantos anos estava carenciado das mesmas.

De facto a regularização de nível e o privilegiar os peões no espaço calcetado, foi bem conseguido, sendo agora muito mais agradável a circulação pedestre, bem como mais disciplinada a circulação automóvel.

As obras ainda não estão concluídas, mas desejo deixar aqui o alerta para não haver esquecimento de colocar várias papeleiras ou outros recipientes para recolha de lixo de pequenas dimensões, dado ser um zona de grande circulação de pessoas com a agravante de infelizmente muitas com um grau de civismo muito abaixo da média.

Hoje por exemplo o «olhar de vento», viu garrafas de cerveja junto á paragem dos autocarros, maços de cigarro vazios junto ás paredes das casas antigas , um monte de casacas de amendoins junto do tronco de uma árvore plantada recentemente vários  papéis e plásticos que não caíram do céu, mas das mãos de quem revela a tal cultura moral e cívica muito abaixo da média.

Termino fazendo ainda um apelo ao Senhor Presidente da Junta, que se não tem de momento nos quadros da Junta alguém com formação para cuidar das árvores e espaços verdes que vale a pena fazer esse investimento, pois em locais urbanos as árvores carecem de cuidados que são dispensáveis quando se trata apenas de uma mata ou zona verde.

Pelo que me foi dado observar nos anos mais recentes essa preparação não existia, e se até certo ponto foi compreensível essa  inexistência devido a que na Freguesia não havia história de árvores urbanas, hoje que que se começas a ter  alguma qualidade e quantidade de árvores de decoração urbana, é bom que sejam devidamente tratadas e podadas nas épocas próprias e segundo as características de cada uma.

 

 

Olhar de Vento

 

 

 

 
 
Esta entrada foi publicada em Notícias e política. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s